ST 13 - PROFESSORES DE HISTÓRIA E HISTORIADORES: ENSINO E DIDÁTICA DA HISTÓRIA ENTRE (IN) DEFINIÇÕES E EXPERIÊNCIAS DA HISTÓRIA PÚBLICA


PROFESSORES DE HISTÓRIA E HISTORIADORES: ENSINO E DIDÁTICA DA HISTÓRIA ENTRE (IN) DEFINIÇÕES E EXPERIÊNCIAS DA HISTÓRIA PÚBLICA
History teachers and historians: teaching and Didatics of History between (in) definitions and experiences of Public History
Professores de Historia e historiadores: enseñanza y didática de la Historia entre (in) definiciones y experiencias de la Historia Pública


Bruno Flávio Lontra Fagundes
UNESPAR - Campo Mourão

Márcia Elisa Teté Ramos
 Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Resumo: Pretende-se discutir formas de conhecimento histórico que circulam na sociedade, bem como seus usos, abusos e potencialidades. Propõe-se refletir sobre as (des) articulações entre História Acadêmica e Histórica Escolar, e examinar: 1) produções extra-acadêmicas sobre o passado que visam públicos variados, sejam filmes, jogos eletrônicos, revistas de consumo, novelas, documentários, ficção-histórica, quadrinhos, material digital, dentre outros; 2) a função social do historiador e do professor de história, assim como sua formação profissional, num momento em que práticas de História Pública em outras realidades socioculturais admitem o passado como business, muitas vezes recrutando membros da academia, expresso em um boom de história midiática, espetacularização e serviços de memória, como museus, considerando os benefícios da empregabilidade profissional; 3) seguindo Bergmann, pensar na elaboração da história em seu sentido “empírico” (o que é apreendido no ensino da História), “reflexivo” (o que pode ser apreendido) e “normativo” (o que deveria ser apreendido), elaboração que não se restringe ao método e ao ensino de história escolar ou acadêmica, mas que relacionam ciência especializada e vida prática por diferentes discursos históricos socialmente produzidos, contando que ensino não se encarna numa prática docente expositivista, embora tenham o público escolar como receptor de conhecimento sistematizado por outros meios.    

Palavras-chave: História Pública; Didática da História; Formação; Conhecimento histórico; Atuação profissional.

Referências:
ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz de. Fazer defeitos na memória: para que servem o ensino e a escrita da História? In: GONÇALVES, Márcia de Almeida et all (Org.). Qual o valor da História hoje? RJ: FGV Editora 2012.
ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira. (Org.). Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011.
BERGMANN, Klaus. A História na reflexão didática. Revista Brasileira de História. v.9, n.19, set.89/fev.90, p. 29-42.
SARLO, Beatriz. Tempo Passado. In: ______. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. SP, MG: Cia das Letras, Ed. UFMG, 2007.
MALERBA, Jurandir. Acadêmicos na berlinda ou: como cada um escreve a História? Uma reflexão sobre o embate entre Historiadores acadêmicos e não-acadêmicos e os caminhos da profissionalização do campo da história no Brasil à luz dos debates sobre Public History. Revista História da Historiografia. Ouro Preto, n.15, p.27-50, p.27-50, agosto 2014.