ST 08 - A HISTÓRIA REGIONAL DO BRASIL EM DEBATE: OS CEM ANOS DO CONTESTADO E OUTROS MOVIMENTOS SOCIAIS NO CAMPO


A história regional do Brasil em debate: Os cem anos do Contestado e outros movimentos sociais no campo
The Brazil regional history of Brazil in debate: Hundred years of the disputed and other social movements in the field
La historia regional de Brasil en debate: Los cien años del Contestado y otros movimientos sociales en el campo


Coordenador:
Maurílio Rompatto, Doutor, UNESPAR/Apucarana- (PR)
mrompatto@gmail.com

Participantes:
Adriana de Carvalho Medeiros, Doutoranda, UFU/Uberlândia- (MG)
morenacomunista@hotmail.com

João Paulo de Medeiros Reggianni, Doutorando PPH/UEM/Maringá- (PR)
jpreggiani@yahoo.com.br

Leandro de Araújo Crestanie, Doutorando UEVORA/Portugal
leandrocrestani@hotmail.com

RESUMO: Este simpósio tem por objetivo debater os movimentos sociais no campo que aconteceram no Brasil a partir da Guerra do Contestado (1912-1916). O movimento do Contestado ocorreu em uma região disputada entre os estados do Paraná e de Santa Catarina e que foi palco da luta de camponeses contra o governo federal que doou suas terras ao grupo norte-americano Brazil Railway Company pela para construção da Estrada de Ferro São Paulo - Rio Grande. Depois de quatro anos de luta, o movimento terminou derrotado. Em 1930, o governo da “Revolução”, de Vargas, cancelou todas as concessões da Brazil Railway, mas, com a intenção de povoar regiões de fronteira agrícola no Paraná, Mato Grosso, Goiás e Pará, esse governo, e outros depois dele, continuaram com a política de concessão de terras ao capital imobiliário para fins de colonização, na chamada Marcha para Oeste. Com isso, terras ocupadas por populações indígenas, caboclas e posseiras eram consideradas “vazias” ou “devolutas” pelos governantes, gerando conflitos entre colonizadores e antigos ocupantes das terras. No Paraná, além do Contestado, aconteceram ainda a Guerra dos Índios Kaingang de Guarapuava (1923), a Revolta Camponesa de Porecatu (1948-1951), a Revolta dos Colonos do Sudoeste (1957) e o Levante dos Posseiros de Nova Aurora, oeste do Estado (1958).

Palavras-chave: Região; Fronteira; Resistência Indígena; Conflitos Agrários.